20.4.06

MORTE AO JABÁ

por Chacal

Uma novelha bandeira surge no ar: a luta contra o jabá. Minha querida amiga “Shakira” Grabois me liga para empunhar palavras de ordem. Eu preciso disso. Hoje as palavras parecem vazias como o saco de plástico que esvoaça ao vento em “Beleza Americana”, de Sam Mendes. Sem uma utopiazinha que seja, a vida fica vaga e as palavras sem graça. Então, vamos à luta contra o jabá, Bia querida.

O jabá, esta prática deplorável, que inviabiliza a vida da grande maioria das pessoas ligadas à música, deve ser banido. Rádios e TVs são concessões públicas e por isso devem contemplar os mais diversos segmentos e estilos musicais. Paralelo a isso, temos que abraçar uma causa mais abrangente: a luta pelas rádios livres, assim como a internet. Quem quiser, e puder, cria uma rádio. Os meios para isso ficam a cada dia mais baratos. É só uma questão de vontade política. A rádio como é formatada hoje, é mero balcão de negócios. Um minuto na programação é vendido para qualquer conteúdo, seja anúncio, música ou notícia. Esse é o pensamento que predomina. Para minar esse procedimento, só rádios livres, que entrariam no ar com outra finalidade, de melhor informar à comunidade, artística e eticamente.

Outro ponto importante para um programa cultural é o fundo de cultura. Não mais os homens de marketing das empresas escolhendo a quem dar o dinheiro da renúncia fiscal - nosso dinheiro de impostos - para “agregar valor” a sua marca, mas homens ligados à cultura, trabalhando em ministérios e secretarias estaduais e municipais, em comum acordo com a sociedade civíl, decidindo, a partir de uma política cultural transparente, onde aplicar a verba do fundo. Essa reserva deveria ser algo em torno de 3% do orçamento (já que não haveria mais renúncia fiscal). Isso reforçaria a identidade cultural do país, do estado e do município e geraria uma quantidade imensa de empregos.

Isso tudo é muito complexo, dirão os analistas, assim como falam das reformas políticas e do judiciário. Mas, na minha opinião, esse pode ser um bom ponto de partida para demolir os feudos culturais desse país. Acho que, apesar de vacilos vários, estamos indo nesse caminho. Não podemos parar!

http://cep.zip.net

http://chacalog.zip.net

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

[11:44:32] Jean Marcus aka MonkeyJhayam: http://informalinformacoes.wordpress.com/2012/04/25/monkey-jhayam-ja-basta/

abril 26, 2012  

Postar um comentário

<< Home