11.4.06

ENTREVISTA COM DEBORAH SZTAJNBERG

Porto Musical - Não ao Jabá

Rock in Rio 3, dia do show do R.E.M. e estavámos eu e duas amigas com uma camisa improvisada no Corel Draw com aquele gatinho do Napster e em baixo escrito assim: "Fuck Metallica". Uma mulher desconhecida, mas muito empolgada, vai atrás da gente e insiste que precisa de uma camisa igual àquela. Mandamos via e-mail a arte tosca do Corel Draw.

Cinco anos depois, na sala de imprensa do Porto Musical, Deborah aparece e nos encontramos novamente. Ela ainda tem a camisa do Napster, diz. Agora, no entanto, seu foco não está exatamente na propriedade intelectual, como muitos imaginam quando esbarram com alguns advogados que, como ela, tem como maiores clientes artistas e, neste caso, músicos. Sua revolta se deve à entrevista que o dono da Rádio Jovem Pan, o Tutinha, deu à revista Playboy deste mês. Bem, Tutinha, entre outras coisas, fala abertamente que só toca artista quando recebe, que se sente o cara mais temido e mais poderoso da indústria da música no Brasil, entre outras barbeiragens impublicáveis (aqui ao menos).

Deborah Sztajnberg, agora com sua apresentação em Power Poin ao fundo, termina sua conferência com um pedido: que todo mundo visite o blog http://movimentopelofimdojaba.blog.terra.com.br ou mande um e-mail pra lista de abaixo-assinados: movimentopelofimdojaba@gmail.com .

Para saber mais podem dar uma lida sobre o projeto de anti-jabá do deputado Fernando Ferro nesta matéria do JB: http://jbonline.terra.com.br/papel/cadernob/2005/12/30/jorcab20051230001.html

Em entrevista, eis suas indignações: "Está na hora de criminalizar essa conduta do jabá. Está na hora de botar o Tutinha na cadeia. Qual a diferença entre ele o traficante de drogas? Nenhuma. Todos fazem daquela coisa ilegal um 'jeitinho brasileiro'. E é por isso que estamos aqui no Porto Musical, pra lutar contra esse tipo de coisa. Porque são essas coisas que impedem que o Brasil seja respeitado. O povo fala que nós fazemos música direitinho, mas que não sabemos fazer negócio. Precisamos mais do que nunca de uma industria séria."

Pergunto: "Você é otimista?"

Ela responde: "Todo mundo tem que botar o seu bico na água pra apagar o incêndio. Eu sou uma das pessoas que está fazendo isso, e tem muita gente fazendo também."

Carol Castro para Jornal do Commércio - Recife

1 Comments:

Blogger Marco Audino said...

Muito bom !!!

setembro 27, 2011  

Postar um comentário

<< Home